Engano

Tu julgas que eu não sei que tu me mentes
Quando o teu doce olhar pousa no meu?
Pois julgas que eu não sei o que tu sentes?
Qual a imagem que alberga o peito meu?

 

Ai, se o sei, meu amor! Em bem distingo
O bom sonho da feroz realidade…
Não palpita d’amor, um coração
Que anda vogando em ondas de saudade!

 

Embora mintas bem, não te acredito;
Perpassa nos teus olhos desleais
O gelo do teu peito de granito…

 

Mas finjo-me enganada, meu encanto,
Que um engano feliz vale bem mais
Que um desengano que nos custa tanto!

 

– Florbela Espanca –

Anúncios

4 comentários sobre “Engano

  1. “Que um engano feliz vale bem mais
    Que um desengano que nos custa tanto!”

    Muito legal essa poesia.

    “Não palpita d’amor, um coração
    Que anda vogando em ondas de saudade!”

    🙂

    Curtir

  2. Aliais, legal o layout, bem marrom né? 😛

    Me senti no campo, hehehe.

    Aquelas figuras que vc punha no tomo me deixavam angustiado… 😛

    Curtir

  3. Fala miga sumida. Tudo certinho contigo? Gosto demais do trabalho de Espanca. Seu trabalho reflete tanto o íntimo, sem ser piegas, como poucos poetas da língua portuguesa conseguem fazer.

    Ah, parabéns pelo novo lay-out do blog. Ficou dez!

    Ótima quinta e beijos do Lu pra você.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s