Lembrei de Você

XLI

No entardecer dos dias de Verão, às vezes,
Ainda que não haja brisa nenhuma, parece
Que passa, um momento, uma leve brisa…
Mas as árvores permanecem imóveis
Em todas as folhas das suas folhas
E os nossos sentidos tiveram uma ilusão,
Tiveram a ilusão do que lhes agradaria…

Ah, os sentidos, os doentes que vêem e ouvem!
Fôssemos nós como devíamos ser
E não haveria em nós necessidade de ilusão…
Bastar-nos-ia sentir com clareza e vida
E nem repararmos para que há sentidos…

Mas graças a Deus que há imperfeição no Mundo
Porque a imperfeição é uma coisa,
E haver gente que erra é original,
E haver gente torna o Mundo engraçado.
Se não houvesse imperfeição, havia uma coisa a menos,
E deve haver muita coisa
Para termo muito que ver e ouvir…

– Alberto Caeiro

“Lembrei de Você” – era esse o título do email que vinha com esse poema anexo. E dia desses dois bilhetinhos de “Tenha uma boa tarde, te adoro”. E ontem uma ligação que começava assim: “Minhas terras tem palmeiras onde canta o sabiá” … e … “Vou me embora pra Parságada, lá sou amigo do rei”. E hoje um telefonema de “Bom dia”.
Quem lê isso pensa na beleza e no carinho dos gestos. Eu não. Cada gesto desse me enoja, sinto desprezo. Porque eu sou lembrada porque era uma poesia de Fernando Pessoa, ou simplesmente porque era poesia. Os bilhetes vieram porque favores eram necessários. O telefonema ainda não mostrou seu objetivo real. Porque não foram gestos desinteressados. Nenhum deles. No dia da poesia comentei com algumas pessoas que o que mais me irrita nesse caso não é que a poesia tenha a ver comigo ou o autor. Eu gosto de Fernando Pessoa sim, mas não é uma referencia minha. Diferente do Caio, que não há como dizer que Caio não lembre meu blog depois de centenas de citação dele que pus aqui. Senti que era como alguém olhar para um capim e lembrar de alguém que gosta de saladas.
Hoje cedo eu acordei cantarolando a música da Vanessa da Mata que ouvi ontem a noite, e de repente começou a tocar na lotação que eu estava. Eu ri sozinha, porque um dia postei essa música aqui porque me sentia nessa situação. De quem não podia aceitar esses gestos como simples demonstração de carinho porque eles vinham carregados de exigências. Exigências e cobranças silenciadas principalmente da minha parte. Porque eu sentia falta de amar, falta de carinho e me agarrei à primeira oportunidade que apareceu. Não pensei no quanto aquilo era errado. Errado porque não podemos usar certas justificativas pra sentir. Não existe essa coisa de “depois ele muda” e “um dia ele vai perceber”. As coisas eram simples e eu na ânsia de ter o que achava que me faltava, enxerguei como quis. Comecei a ler poesias e fazer correlações. Comecei a ver capim e sentir fome…

3 comentários sobre “Lembrei de Você

  1. Guria, acho que voce esta irritada, mesmo racionalizando.

    Ele nao tem culpa de decepcionar, até porque simplesmente aproveitou o que pode, sem promeças nem nada.

    Melhor fazer favores com poesia que sob gritos da obrigação, pense nisso.

    E quando ouço a musica lembro do seu blog mesmo🙂

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s