Imensidão

Em pé no caixote de madeira, coloquei a mão sobre os olhos e contemplei a paisagem. Era de uma amplitude incrível. Nunca conseguirei me lembrar dela totalmente. Como poderia me lembrar de uma coisa tão ampla? Acho que os cérebros das pessoas não foram concebidos para lembranças desse tipo. Foram projetados para coisas como números de telefone ou a cor dos cabelos de alguém. Não para a imensidão.

Lucy Christopher in “Raptada: Carta ao meu Sequestrador”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s