Retrospectiva Literária 2013

  • O livro infanto-juvenil que mais gostei: “O Pequeno Príncipe – Antoine Saint Exupery”
Clássico dos clássico, nem eu acreditei que nunca tinha lido. Claro, já tinha visto o filme, o desenho, lido dezenas de citações, mas o livro propriamente dito, nunca tinha lido. Lindo de viver, um livro pra adultos na verdade. Cheio de frases cheia de mensagens filosóficas.

  • A aventura que me tirou o fôlego: “As Aventuras de Pi – Yann Martel”
O livro foi acusado de plágio, mas o que mais se comentou mesmo dessa história foi sua adaptação cinematográfica. Um deleite aos olhos com cenas fantásticas e poéticas. Todo o tempo no mar é maravilhoso de se ver. Quando ao livro, não perde em nada ao filme. O livro alerta que é sobre religião, mas acho que é mais sobre alma humana e suas dualidades. Claro, fala coisas lindas sobre religião, mas o foco mesmo é a convivência com o “tigre”.

  • O terror que me deixou sem dormir: “Branca dos Mortos e os Sete Zumbis – Abu Fobiya”
Esse foi o único livro da lista que eu poderia classificar como terror. Oohhh, que medo. rsrsrs. Abu Fobiya fez uma releitura dos contos de fadas no estilo zumbis. Ficou divertido, sem perder o contexto dos contos e ao mesmo tempo dando sentido ao mórbido. O que mais gostei foi a conexão entre os contos, onde as personagens se interligam numa teia maior que conduz toda a história.

  • O suspense mais eletrizante: “Inferno – Dan Brown”
Eu ainda não tinha visto as críticas sobre esse livro antes de pegá-lo para ler, só então ouvi dizer que Dan Brown tinha perdido o jeito. Aí que tive vontade de ler mesmo. E sinceramente? Dan Brown continua o mesmo de sempre, com uma história cheia de reviravoltas de tirar o fôlego. Ele misturou a obra de Dante – “A Divina Comédia” e construiu um suspense bem atual, com questionamentos sobre biomedicina, super população e futuro.

  • O romance que me fez suspirar: “A Carícia do Vento – Janet Dailey”
Demorei pra escolher um na minha lista, mas acho que esse livro da Janet Dailey me conquistou pra sempre. Recomendei pra todo mundo que eu conheço. Eu já tinha lido outro livro dela, mas esse foi arrebatador. É o tipo de história que eu gosto: mocinha nervosa, triângulo amoroso, mocinho forte na personalidade, vilão de atitude, sofrimento, luta, sobrevivência, conversão.

  • A saga que me conquistou: “A Maldição do Tigre – Colleen Houck”
Uma saga que achei inovadora, fugindo dos vampiros que fizeram tanto sucesso nos anos anteriores. Um triângulo amoroso que você não sabe qual escolhe, de tão lindos que são os mocinhos. E ao mesmo tempo uma história cheia de aventuras ambientada na cultura indiana e sua mitologia.

  • O clássico que me marcou: “O Hobbit – J.R.R.Tolkien”
Bom, eu considero um clássico mas não sei se é classificado assim. Um livro infantil na verdade, você percebe pela narrativa brincalhona. Soube que o Tolkien escreveu esse livro para os filhos dele. É bem curto e divertido, e nem acreditei como conseguiram transformar 100 páginas em 3 filmes de quase 3 horas! A história é ambientada antes dos filmes “O Senhor dos Anéis” e narra como Bilbo encontrou o anel em sua primeira e única aventura, rsrsrs.

  • O livro que me fez refletir: “3096 Dias – Natascha Kampusch”
Esse ano li vários livros sobre sequestros. Alguns fictícios e outros reais, esse da Natascha é verídico. Achei ela uma pessoa muito adulta nesse livro, diferente do livro da Jaycee – “Uma vida roubada”, que passou por algo semelhante. A Jaycee não cresceu mentalmente, talvez tenha sido seu refúgio e o que a ajudou a sobreviver os quase 20 anos que viveu em cativeiro. Já a Natascha, sofreu horrores, pois seu sequestrador era louco e violento. Há cenas que morri de pena e ódio do sequestrador. Mas o que me levou a escolher esse livro, foi a visão de Natascha que reconhece que apesar de tudo, as vezes o sequestrador era bom pra ela dando-lhe presentes, doces e companhia afetiva. Ela mostra que ninguém é completamente bom ou mau.

  • O livro que me fez rir: “O Lado Bom da Vida – Matthew Quick”
Apesar do livro falar demais, no meu gosto, sobre futebol americano, as outras partes da história são hilárias. O filme não conseguiu captar bem toda a loucura dos dois protagonistas.

  • O livro que me fez chorar:“A Culpa é das Estrelas – John Green”
Fazia tempo que eu não chorava copiosamente com um livro. O livro vai virar filme no ano que vem, e espero que consiga captar todo o drama dessa história que as personagens insistem em deixar leve. A história é dois adolescentes com câncer que frequentam um grupo de apoio. E no meio dessa convivência, vão tentar desvendar o final da história de um livro que a mocinha ama, e vão atrás de seu autor. É pra se pensar sobre a vida, de fato. Reserve lencinhos quando for ler.

  • O melhor livro de fantasia: “A viagem do Tigre – Colleen Houck”
Faz parte da saga que citei acima, mas esse eu gostei mais pois a história gira em torno de dragões. E eu amo de paixão os dragões chineses. Os dragões chineses não gospem fogo como os medievais, eles se parecem com uma longa serpente e são conhecidos por sua relação com a chuva.

  • O livro que me decepcionou: Juntos para Sempre – Walcyr Carrasco
Pelo autor ser tão conhecido por suas novelas, eu esperava uma história mais complexa. E ainda com o apelo espírita na história, não me agradou.

  • O livro que me surpreendeu: Raptada: Carta ao meu sequestrador – Lucy Christopher
Sabe quando você torce pro “vilão” da história? Minha nossa, eu fiquei completamente apaixonada por ele e sua sabedoria sobre viver numa terra árida. A história deixa você sem saber se gostou do final ou não, porque você não consegue escolher qual lado é o certo dessa história.

  • A frase que não saiu da minha cabeça:“-Não conte para a mamãe – disse ele, dando-me uma breve sacudida. – Isso é um segredo nosso Antoinette, você me ouviu?
    – Está bem, papai. – respondi. – Não vou contar.
    Mas contei. Eu sentia segurança no amor de minha mãe. Eu a amava, e ela, eu sabia, me amava. Ela o mandaria parar.
    Mas não mandou.”Toni Maguire in “Não conte para a mamãe”
  • O(a) personagem do ano: Travis de “Belo Desastre – Jamie Mcguire”
  • O Casal Perfeito: Belle e Etiene de “Entre o Amor e a Paixão – Lesley Pearse”
  • O(a) autor(a) revelação: J. A. Redmerski em “Entre o agora e o nunca”
  • O melhor livro nacional: Paula Pimenta em “Apaixonada por Palavras”
  • O melhor livro que li em 2013: Butterfly – Kathryn Harvey. Não citei ele em nenhuma categoria, mas foi uma grande surpresa, eu enrolei pra ler o livro, mas foi um suspense meticuloso sobre vingança. Já fui atrás de outros livros da autora.

Melhor capa: “Butterfly” – Kathryn Harvey

Li em 2013 62 livros!

Minha meta literária para 2014 é ler meus livros de papel, pelo menos 12 e me desapegar deles. Com a faculdade, não posso prometer ler mais de 62 livros! rsrsrs

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s