Junto ao crisântemo

Terá sido para abrir este crisântemo
que o cuco chorou tanto
desde a primavera…

E terá sido para abrir este crisântemo
que o trovão chorou tanto
dentro das nuvens negras…

Flor, pareces a minha amada irmã
de volta agora diante do espelho,
após a longa juventude de longínquas sendas
de peito aflito de saudade e anseio

Terá sido para as tuas douradas pétalas se abrirem
que na noite passada a geada gelou tão fria
e eu não pude nem pegar no sono…

Seo Jeong-Ju

Poema reunido por Ji Hyun Lee no livro
“O Pássaro que comeu o sol: poesia moderna da Coréia”.
Tradução de Yun Jung Im

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s