Ninguéns

Toda a vida acreditei: amor é os dois se duplicarem em um. Mas hoje sinto: ser um é ainda muito. De mais. Ambiciono, sim, ser o múltiplo de nada, Ninguém no plural.
Ninguéns.

Mia Couto in “O Fio da Missangas” (Na tal noite)

Anúncios

Um comentário sobre “Ninguéns

  1. rs… parece complicado de entender, mas é fácil de se identificar: as vezes – ou quase sempre – temos a falsa impressão de que o amor pode nos tornar tão iguais que acabaríamos nos tornando um. Acontece que as individualidades, em realidade, parecem sobressair a qualquer amor. Por fim, acabamos nos tornamos metade de um já incompleto. rs… espero não ter decepcionado!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s