Seja um poema

Quando escrevo, revivo tudo
cada pedacinho do que vi
agora, vai para fora
em uma mistura de verbos, adjuntos e pronomes
que parece, só parece
mas é real pra mim.

Quando escrevo não sou metade
nem que eu queira
tudo de mim vai junto
até muitas vezes o que eu queria guardar
no mais profundo
só vai
Então eu deixo ir ao desconhecido
e aí que me conheço.

Quando escrevo, uma parte minha pensa e outra sente
intensamente.
Quando vivo só sinto e esse é o problema.
Escrever é a chance que a razão me dá para pensar
afinal, também é preciso.

Quando escrevo, cada palavra sai em seu devido lugar
Já quando falo ou penso, ela se embaralha
E chego até a engasgar e me atropelar.

Quando escrevo sinto tudo junto, com todos os sentidos
Escuto o som de uma risada gostosa em cada canto
O choro com o sentimento que cada vírgula tem.

Quando escrevo, eu crio.
Tem o privilégio de ser maior, de aceitar mais,
querer menos e amar inteiramente
o que já um dia, pode vir a me magoar
porque quando escrevo eu aprendo
com cada palavra amiga minha que eu nem sabia.
Cada frase da rotina sem graça qualquer frase de desamor
e até um dia nublado e sem vida
quando se escreve tudo ganha cor

Quando escrevo posso corrigir,
admitir e posso melhorar
posso ser mais do que sou
ou posso ver mais da vida ao meu redor
e ter mais amor

É preciso ter coragem de viver para escrever e
escrever pra viver
É o que o meu coração pensou
E a minha mão às vezes deixa escapar
Escrever é a chance que a vida me dá
de me conhecer e me reconhecer no outro ainda mais.

Isa Ribeiro (via youtube)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s