Há 11 anos

Quando uma pessoa próxima morre, as lembranças que você tem dela se tornam dolorosas. Só na quinta fase do luto as lembranças não doem mais tanto assim; é quando as recordações se tornam boas. É quando você para de pensar na morte da pessoa e passa a se lembrar de todas as coisas maravilhosas a respeito da vida dela.

Colleen Hoover in “Métrica”

Anúncios

Aqui sentada

E, por mais que eu pudesse ficar aqui sentada, sentindo pena de mim mesma e me perguntando por que tudo isso aconteceu comigo… não vou fazer isso.
Não vou ficar desejando uma vida perfeita. As coisas que nos derrubam na vida são testes, e esses testes nos forçam a escolher entre desistir, ficar caída no chão ou sacudir a poeira e se levantar com ainda mais firmeza que antes. Estou escolhendo me levantar com mais firmeza. Provavelmente vou ser derrubada mais algumas vezes antes da vida se cansar de mim, mas garanto que nunca vou ficar caída no chão.u

Colleen Hoover in “Um caso perdido”

Para sempre

Fodam-se todas as primeiras vezes, Sky. A única coisa que importa para mim com você são os para sempre.

Colleen Hoover in “Um caso perdido”

Dividida em capítulos

Uma das coisas que amo nos livros é que eles conseguem definir e condensar certos momentos da vida de um personagem em capítulos. É intrigante, pois na vida real é impossível fazer isso. Não dá para terminar um capítulo, pular as coisas pelas quais a pessoa não quer passar e simplesmente começar um capítulo que melhor se encaixa com sua vontade. A vida não pode ser dividida em capítulos… só em minutos.
Os acontecimentos da vida de uma pessoa estão todos aglomerados um minuto após o outro, sem nenhum intervalo de tempo, páginas em branco ou pausas de capítulo, porque não importa o que aconteça, a vida simplesmente continua, segue em frente, as palavras são ditas, e as verdades sempre surgem, quer você queira ou não, e a vida nunca deixa você fazer uma pausa apenas para recuperar a porra do fôlego.

Colleen Hoover in “Um caso perdido”

Escolha certa

– O problema é que eu não sei qual é a escolha certa a fazer.
Ele segura minha mão inteira, entrelaçando nossos dedos.
– É porque não existe escolha certa — diz ele. — Às vezes, precisamos escolher entre um monte de escolhas erradas, sem a possibilidade de nenhuma certa. Você simplesmente tem de decidir pela escolha errada que parece menos errada.

Colleen Hoover in “Um caso perdido”

Não vale a pena

Neste momento, não sou mesmo capaz de compreender como deve ser ter o coração partido de verdade. Se eu sentir uma dor apenas um por cento mais forte do que a que já sinto agora, abdico do amor. Não vale a pena.

Colleen Hoover in “Métrica”

Num piscar de olhos

Posso entender como em um minuto uma pessoa pode pensar que sua vida não é nada mais do que um vale árido, com nenhuma esperança para o futuro.
Então, em um piscar de olhos, alguém pode vir e mudá-la com um simples sorriso.

Colleen Hoover in “Essa Garota”

Eu a beijo

Eu a beijo como se fosse a primeira vez que já beijei. Eu a beijo como se fosse a última vez que vou beijá-la.

Colleen Hoover in “Essa Garota”

E daí se a dor não é a mesma?

Alguém fez uma pergunta sobre a poesia deles, se era difícil ter de reviver as palavras toda vez que se apresentavam. A resposta foi que, apesar de o ideal ser eles superarem aquilo (a pessoa ou o evento que inspirou as palavras naquela época), isso não significa que uma pessoa que estiver escutando não tenha passado pela mesma coisa.
“E daí? E daí que a dor sobre a qual você escreveu ano passado não é o que você está sentindo hoje? Pode ser exatamente o que a pessoa na primeira fila está sentindo. O que você está sentindo agora, e a pessoa a quem suas palavras talvez afetem daqui a cinco anos — é por isso que se escreve poesia.”

Colleen Hoover in “Métrica”

Capacidade de sentir

Isto que sinto quando estou com ela… Havia perdido isso. Tinha perdido a capacidade de sentir.

Colleen Hoover in “Essa Garota”