Longevidade

“-Vocês, jovens tratam a vida como se houvesse pedras no caminho. Enquanto nós velhos tentamos de tudo para viver mais um dia.
-Sem felicidade, qual o sentido da longevidade?”

– Peixe Grande e Begônia (filme)

Anúncios

Lugar bonito

Na minha memória – já tão congestionada – e no meu coração – tão cheio de marcas e poços – você ocupa um dos lugares mais bonitos.

– Caio F. Abreu

Trecho da carta extraída do livro “O que importa em Oracy”,
organizado por Fátima Friedriczewski,

Há um pai

Há um pai na lembrancinha
que o filho trouxe da escola
no carrinho, numa bola
que ele deu pelo natal
há um pai lendo um jornal
assistindo televisão
há um pai lá no sertão
alimentando a “criação”
que ficou, lá no curral

Há um pai puxando a orelha
há um pai embalando nos braços
pai que faz o tipo palhaço
pai severo, ditador
pai que chamamos de senhor
pai que chamamos de “velho”
há um pai que dá conselhos
pai que protege e ampara
um pai que grita na cara
há um pai que ensina com vara
um pai que ensina com amor

Há um pai que já nem lembra
o tamanho da sua prole
há um pai que gosta de uns goles
de um cigarrinho de páia
há um pai que corre na praia
e faz o estilo cinquentão
pai que banca o machão
há um pai de mãos calejadas
pai de face enrugada
pai que de pai não tem nada
há um pai que não foge da raia

Há um pai que deixou saudades
lembranças que nos marcaram
e há os pais que nos deixaram
e nem lembramos do nome
há um pai que passou fome
pra poder dar o estudo
e o filho depois de tudo
essa confiança trai
pai que do coraçâo não sai
e há uma mãe que foi pai
porque um pai não foi homem

( Desconheço a autoria)

Querer-te tanto

Eu não queria querer-te tanto, Clara. Repito que não quero querer-te e já te quero mais quando acabo de o repetir. O esporão da infelicidade acirra este meu querer-, talvez eu saiba que não tenho o direito a ter o que quero, talvez seja essa a minha forma de me punir.

Inês Pedrosa in “A Eternidade e o Desejo”

Minha terra natal

“Você ainda o ama, não é? — Amo? Eu não sei… Há muito tempo não me lembro quais os limites do amor. Ele representa tudo e todos que um dia eu amei. Quando olho para Seyit, eu vejo Kislovodsk e pinheiros nevados, ouço os cascos dos cavalos das trikas e os sinos da igreja. Isso é muito mais que amor. É como se eu precisasse dele para respirar, Alain; eu não espero que você compreenda. Ele é a imagem viva da minha terra natal, para onde nunca mais poderei retornar. Mesmo se nunca mais encontrá-lo, só de saber que ele vive e respira na mesma cidade que eu, nos mesmos lugares, já é suficiente para mim, acredite. Ele é a minha Rússia em Istambul.”

Nermin Bezmen in “Kurt Seyit & Shura”

Agora sei que tenho coração

Você quer um coração? Você não sabe o quão sortudo és por não ter um. Corações nunca serão práticos enquanto não forem feitos para não se partirem.
[…]
Agora eu sei que tenho um coração, porque ele está partido.

O Mágico de Oz
(filme)

O que vai no coração

“O que sou eu aos olhos da maioria das pessoas? Uma não entidade, ou um homem excêntrico e desagradável – alguém que não tem e nunca terá posição na vida, em suma, o menor dos menores. Muito bem, mesmo que isso fosse verdade, devo querer que o meu trabalho mostre o que vai no coração de um homem excêntrico e desse joão-ninguém.”

Van Gogh in “Cartas a Théo”
Tradução de Pierre Ruprecht

Still hurting

Jamie is over and jamie is gone
Jamie’s decided it’s time to move on
Jamie has new dreams he’s building upon
And I’m still hurting

Jamie acabou e Jamie se foi
Jamie decidiu que é hora de seguir em frente
Jamie tem novos sonhos que ele está perseguindo
E eu ainda estou sofrendo

Jamie arrived at the end of the line
Jamie’s convinced that the problems are mine
Jamie is probably feeling just fine
And I’m still hurting

Jamie chegou no final da linha
Jamie está convencido de que os problemas são meus
Jamie provavelmente está se sentindo bem
E eu ainda estou sofrendo

What about lies, jamie?
What about things
That you swore to be true
What about you, jamie
What about you

E quanto à mentiras, Jamie?
O que acontece com as coisas
Que você jurou serem verdade?
E você, Jamie?
E você?

Jamie is sure something wonderful died
Jamie decides it’s his right to decide
Jamie’s got secrets he doesn’t confide
And I’m still hurting

Jamie tem certeza que algo maravilhoso morreu
Jamie decide que é seu direito decidir
Jamie tem segredos que ele não conta
E eu ainda estou sofrendo

Go and hide and run away
Run away, run and find something better
Go and ride the sun away
Run away like it’s simple
Like it’s right…

Vá e esconda-se e fuja
Fuja, corra e encontre algo melhor
Vá e leve o sol embora
Fuja como se fosse simples
Como se estivesse certo

Give me a day, jamie
Bring back the lies
Hang them back on the wall
Maybe I’d see
How you could be
So certain that we
Had no chance at all

Me dê um dia, Jamie
Traga de volta as mentiras
Pendure-as de volta na parede
Talvez eu veja
Como você estava
Tão certo que nós
Não tínhamos chance alguma

Jamie is over and where can I turn?
Covered with scars I did nothing to earn
Maybe there’s somewhere a lesson to learn
But that wouldn’t change the fact
That wouldn’t speed the time
Once the foundation’s cracked
And I’m
Still hurting

Jamie acabou e para onde posso virar?
Coberta de cicatrizes que não fiz nada para merecer
Talvez haja em algum lugar uma lição a ser aprendida
Mas isso não mudaria o fato
Isso não iria acelerar o tempo
Uma vez que a fundação está rachada
E eu ainda
estou sofrendo

“Os últimos cinco anos”
(filme)

Ninguéns

Toda a vida acreditei: amor é os dois se duplicarem em um. Mas hoje sinto: ser um é ainda muito. De mais. Ambiciono, sim, ser o múltiplo de nada, Ninguém no plural.
Ninguéns.

Mia Couto in “O Fio da Missangas” (Na tal noite)

Contrariando-nos a vontade

O amor nem sempre chega quando queremos. Às vezes, ele simplesmente acontece, contrariando-nos a vontade.

V. C. Andrews in “A Saga Dos Foxworth – O Jardim Dos Esquecidos”